O que os níveis do hormônio FSH significam?

Neste post nós explicaremos as nuances dos níveis do hormônio FSH e o que ele pode dizer sobre a fertilidade. Confira.

Nos últimos quinze anos, a ciência de testar hormônios relacionados à reserva ovariana (também conhecida como contagem de óvulos) fez alguns avanços notáveis. Antes que o hormônio antimulleriano (AMH) fosse descoberto como um marcador mais confiável da reserva ovariana, as clínicas de fertilidade dependiam principalmente do hormônio folículo-estimulante (FSH) para testes. 

Então, se os médicos dão mais ênfase ao AMH hoje em dia, ainda vale a pena testar o FSH? A resposta é sim – o FSH também pode fornecer informações importantes.

Os dois hormônios, AMH e FSH, fornecem informações sobre sua contagem de óvulos, juntamente com o estrogênio estradiol (E2). Testar esses hormônios, incluindo o FSH, pode ajudá-la a entender sua linha do tempo reprodutiva geral para que você possa traçar um plano para ter filhos.

Neste post, exploraremos as nuances do FSH e o que ele pode dizer sobre fertilidade.

O que são os níveis do hormônio FSH e por que isso importa?

Os hormônios são mensageiros químicos que viajam pelo corpo através da corrente sanguínea e dizem aos órgãos e células do corpo o que fazer. O hormônio folículo-estimulante (FSH) é produzido na glândula pituitária do cérebro e atua nos ovários. 

Sua principal responsabilidade é estimular o crescimento de folículos ovarianos (daí vem o nome do hormônio) que abrigam e desenvolvem os óvulos. Em outras palavras, o FSH ajuda a preparar o terreno para que a ovulação ocorra.

Medir esse hormônio em particular é como ouvir as mensagens que seu cérebro está enviando para os ovários. A partir dessas mensagens, podemos obter mais informações sobre como esses sistemas estão funcionando – e como suas funções estão mudando ao longo do tempo à medida que envelhecemos e a fertilidade diminui.

Uma nota super importante: não importa qual seja o seu nível de FSH, ele não dirá se você pode ou não engravidar agora. Tenha em mente que mesmo que a contagem de óvulos seja muito baixa, ainda é preciso apenas um espermatozóide e um óvulo para engravidar.

Como o FSH pode mudar ao longo de sua vida?

Os níveis de FSH aumentam à medida que nos aproximamos da menopausa. Por quê? Conforme envelhecemos, nossa contagem de óvulos diminui. Isso significa que, com o tempo, teremos menos folículos se desenvolvendo em nossos ovários. 

Quando os folículos ovarianos crescem, eles liberam estrogênio (E2). O estrogênio diz ao cérebro que não há problema em desligar a produção de FSH (em outras palavras, E2 e FSH funcionam em um loop de feedback negativo).

Então, como você tem menos folículos, há menos E2. Isso significa que a hipófise nunca recebe o sinal de que pode parar de produzir FSH e seus níveis aumentam.

Para compreender melhor, vamos explicar detalhadamente esse processo levando em consideração a fase da vida.

Quando você é mais jovem, é mais ou menos assim:

  • Sua hipófise diz aos seus ovários para começar desenvolver folículos no intuito de se preparar para a ovulação. A hipófise envia FSH para estimular o crescimento dos folículos;
  • Os folículos começam a crescer em seus ovários;
  • À medida que esses folículos crescem, eles emitem E2. Isso envia uma mensagem à hipófise de que há muitos folículos crescendo e a hipófise para de produzir FSH.

Conforme você envelhece, fica mais parecido com isso:

  • Sua hipófise diz aos seus ovários para começar a desenvolver folículos para se preparar para a ovulação. A hipófise envia FSH para estimular o crescimento dos folículos.
  • Os ovários começam a desenvolver folículos – mas como sua contagem de óvulos é menor, menos folículos crescem a cada ciclo.
  • Como há menos folículos crescendo, eles emitem menos E2. A hipófise não recebe a mensagem de que há folículos suficientes, então continua produzindo FSH.

Então, um alto nível de FSH pode confirmar que você atingiu a menopausa? Níveis de FSH > 30 UI/L podem indicar que alguém está se aproximando da transição da menopausa, mas os ginecologistas confiam mais nos sintomas e na regularidade menstrual para determinar se alguém está entrando (ou atingiu) a menopausa. 

Também é importante notar que níveis elevados de FSH podem apontar para outras questões, como a insuficiência ovariana primária (IOP), uma condição rara em que a função ovariana cessa antes dos 40 anos, também conhecida como menopausa precoce.

Como o FSH muda dentro de cada ciclo menstrual?

Como o FSH é um hormônio que ajuda na ovulação, ele flutua de forma previsível ao longo do ciclo menstrual à medida que seu corpo se prepara para ovular:

  • No início do seu ciclo, os níveis de FSH estão mais baixos.
  • À medida que os níveis de FSH aumentam, os folículos crescem e os óvulos começam a amadurecer no ovário.
  • Esses folículos começam a produzir estrogênio, que é um sinal para a glândula pituitária de que é hora de interromper a produção de FSH.

Como seu nível de FSH pode variar bastante ao longo do ciclo, as clínicas de fertilidade testam o FSH em um determinado dia do ciclo (dia 3) para capturar seu nível de FSH em sua linha de base. 

O que significam níveis baixos, “normais” e altos de FSH para a reserva ovariana?

Antes de nos aprofundarmos nos detalhes, aqui está algo que é realmente importante lembrar: os níveis de FSH são apenas um ponto de dados em torno de sua reserva ovariana e não devem ser interpretados isoladamente.

O FSH deve sempre ser considerado no contexto do E2. Um E2 alto pode mascarar um FSH alto. Se você não medir E2, você não sabe se seu FSH está sendo suprimido por E2. De qualquer forma, devemos observar prioritariamente seu nível de AMH ao interpretar a reserva ovariana.

Pense assim: se seus hormônios fossem uma banda, AMH seria o vocalista e FSH e E2 seriam os backing vocals. Todos eles são importantes para fazer a música acontecer, mas o AMH é o centro das atenções.

O que significa ter níveis baixos ou “normais” de FSH?

Podemos estipular uma referência da seguinte maneira: níveis de FSH abaixo de 3,85 mIU/mL no dia 3 do seu ciclo como “baixo” e os níveis entre 3,85 e 8,78 como “normal”. 

Se o seu nível de FSH estiver baixo (<3,85) ou “normal” (3,85 – 8,78), essa é uma indicação (importante: não é uma resposta definitiva) de que você tem o número esperado de óvulos e a quantidade de folículos se desenvolvendo todos os meses para sua idade – o último dos quais está produzindo E2 suficiente para desligar a produção de FSH do corpo.

Um FSH baixo, no entanto, não deve ser interpretado isoladamente. “Se o FSH estiver baixo e o E2 estiver normal, é improvável que seja motivo de preocupação – especialmente se os seus ciclos estejam regulares. 

Mas mesmo no caso de ciclos irregulares, um único resultado baixo de FSH provavelmente não será clinicamente preocupante. FSH baixo se torna um problema se o E2 também estiver baixo e alguém não estiver menstruando.

Níveis baixos de FSH também podem ocorrer em pessoas que estão abaixo do peso ou tiveram perda de peso substancial recentemente, ou se houver um problema com a glândula pituitária que está fazendo com que ela não produza hormônios suficientes. É sempre uma boa ideia consultar seu médico se você tiver alguma dúvida.

O que significa ter alto FSH?

Níveis de FSH entre 8,78 mIU/mL e 15 no dia 3 do seu ciclo como pode ser considerado “ligeiramente alto” e quando esse número ultrapassa 15 mIU/mL, os níveis são definidos como “alto” . 

Caso seu nível de FSH estiver alto (> 15), isso é uma indicação (novamente, não uma resposta definitiva) de que você pode estar trabalhando com menos óvulos e ter menos folículos se desenvolvendo a cada mês – o que significa que sua hipófise não está recebendo o sinal (na forma de E2) para interromper a produção de FSH.

É bom ter em mente que há distinção entre um nível de FSH temporariamente alto e um nível de FSH alto sustentado. 

O FSH flutua mais de ciclo para ciclo do que o AMH – o que é outro motivo para olhar primeiro para o AMH ao interpretar seus resultados. Dependendo de quão alto é o seu FSH, seu médico pode solicitar um novo teste para ver se seu nível foi temporariamente elevado ou se o resultado alto persiste ao longo do tempo. 

Como o FSH pode flutuar de ciclo para ciclo, é menos provável que um único resultado alto seja preocupante, pois pode estar na faixa normal em um mês subsequente.

Aqui está um rápido detalhamento de como pensar em altos níveis de FSH:

FSH + AMH: é improvável que um alto FSH isolado seja clinicamente preocupante se o seu nível de AMH for normal. Agora, se o seu alto nível de FSH estiver associado a um baixo nível de AMH, ambos os sinais apontam para uma reserva potencialmente menor de óvulos para sua idade. Vale a pena discutir essa combinação de resultados com seu médico.


FSH + E2: se o FSH estiver alto e o E2 estiver muito baixo, isso pode ser um sinal de menopausa – especialmente se o AMH também estiver muito baixo.

O que seu nível de FSH tem a ver com sua fertilidade?

Como mencionamos no início deste artigo, antigamente os testes de reserva ovariana tinham o FSH como o principal indicador da reserva ovariana e do tempo da menopausa. Entretanto, cerca de 15 anos atrás, o AMH foi descoberto como um marcador mais confiável da reserva ovariana. 

O AMH substituiu amplamente o FSH do dia 3 por duas razões: o AMH é menos variável ao longo do ciclo e pode ser medido em qualquer dia, o que é muito mais conveniente para pacientes e médicos. Em segundo lugar, acredita-se que os níveis de AMH diminuem antes do aumento dos níveis de FSH, fornecendo assim um sinal precoce de declínio da reserva ovariana.

Conclusão

Quanto mais informação, melhor. Essa é a máxima quando o assunto é reserva ovariana e fertilidade. 

Testar FSH, juntamente com AMH e E2, é uma ótima maneira de obter dados variados que ajudam você a pensar em sua linha do tempo para ter filhos ou compreender em quanto tempo você provavelmente passará pela menopausa. Dessa forma, aumentam as chances de sucesso potencial em FIV e congelamento de óvulos.

Caso algumas dúvidas tenham permanecido, entre em contato com seu médico de confiança ou marque uma consulta com uma de nossas atendentes.

Você pode se interessar:

Tratamentos que oferecemos

Você enfrenta dificuldades para engravidar, algum problema ginecológico ou precisa de acompanhamento obstétrico? Nós estamos aqui para te ajudar! Conheça mais sobre os tratamentos oferecidos

Leia Mais »

Compartilhe:

WhatsApp
Email
Facebook
LinkedIn
Twitter